Números Capítulo XXXV

Posted by TKM






 By google.

04 - Números Capítulo : 35


1 Disse mais o Senhor a Moisés nas planícies de Moabe, junto ao Jordão, na altura de Jericó:

2 Dá ordem aos filhos de Israel que da herança da sua possessão dêem aos levitas cidades em que habitem; também dareis aos levitas arrabaldes ao redor delas.

3 Terão eles estas cidades para habitarem; e os arrabaldes delas serão para os seus gados, e para a sua fazenda, e para todos os seus animais.

4 Os arrabaldes que dareis aos levitas se estenderão, do muro da cidade para fora, mil côvados em redor.

5 E fora da cidade medireis para o lado oriental dois mil côvados, para o lado meridional dois mil côvados, para o lado ocidental dois mil côvados, e para o lado setentrional dois mil côvados; e a cidade estará no meio. Isso terão por arrabaldes das cidades.

6 Entre as cidades que dareis aos levitas haverá seis cidades de refúgio, as quais dareis para que nelas se acolha o homicida; e além destas lhes dareis quarenta e duas cidades.

7 Todas as cidades que dareis aos levitas serão quarenta e oito, juntamente com os seus arrabaldes.

8 Ora, no tocante às cidades que dareis da possessão dos filhos de Israel, da tribo que for grande tomareis muitas, e da que for pequena tomareis poucas; cada uma segundo a herança que receber dará as suas cidades aos levitas.

9 Disse mais o Senhor a Moisés:

10 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando passardes o Jordão para a terra de Canaã,

11 escolhereis para vós cidades que vos sirvam de cidades de refúgio, para que se refugie ali o homicida que tiver matado alguém involuntariamente.

12 E estas cidades vos serão por refúgio do vingador, para que não morra o homicida antes de ser apresentado perante a congregação para julgamento.

13 Serão seis as cidades que haveis de dar por cidades de refúgio para vós.

14 Dareis três cidades aquém do Jordão, e três na terra de Canaã; cidades de refúgio serão.

15 Estas seis cidades serão por refúgio aos filhos de Israel, ao estrangeiro, e ao peregrino no meio deles, para que se refugie ali todo aquele que tiver matado alguém involuntariamente.

16 Mas se alguém ferir a outrem com instrumento de ferro de modo que venha a morrer, homicida é; e o homicida será morto.

17 Ou se o ferir com uma pedra na mão, que possa causar a morte, e ele morrer, homicida é; e o homicida será morto.

18 Ou se o ferir com instrumento de pau na mão, que possa causar a morte, e ele morrer, homicida é; será morto o homicida.

19 O vingador do sangue matará ao homicida; ao encontrá-lo, o matará.

20 Ou se alguém empurrar a outrem por ódio ou de emboscada lançar contra ele alguma coisa de modo que venha a morrer,

21 ou por inimizade o ferir com a mão de modo que venha a morrer, será morto aquele que o feriu; homicida é. O vingador do sangue, ao encontrá-lo, o matará.

22 Mas se o empurrar acidentalmente, sem inimizade, ou contra ele lançar algum instrumento, sem ser de emboscada,

23 ou sobre ele atirar alguma pedra, não o vendo, e o ferir de modo que venha a morrer, sem que fosse seu inimigo nem procurasse o seu mal,

24 então a congregação julgará entre aquele que feriu e o vingador do sangue, segundo estas leis,

25 e a congregação livrará o homicida da mão do vingador do sangue, fazendo-o voltar à sua cidade de refúgio a que se acolhera; ali ficará ele morando até a morte do sumo sacerdote, que foi ungido com o óleo sagrado.

26 Mas, se de algum modo o homicida sair dos limites da sua cidade de refúgio, onde se acolhera,

27 e o vingador do sangue o achar fora dos limites da sua cidade de refúgio, e o matar, não será culpado de sangue;

28 pois o homicida deverá ficar na sua cidade de refúgio até a morte do sumo sacerdote; mas depois da morte do sumo sacerdote o homicida voltará para a terra da sua possessão.

29 Estas coisas vos serão por estatuto de direito pelas vossas gerações, em todos os lugares da vossa habitação.

30 Todo aquele que matar alguém, será morto conforme o depoimento de testemunhas; mas uma só testemunha não deporá contra alguém, para condená-lo à morte.

31 Não aceitareis resgate pela vida de um homicida que é réu de morte; porém ele certamente será morto.

32 Também não aceitareis resgate por aquele que se tiver acolhido à sua cidade de refúgio, a fim de que ele possa tornar a habitar na terra antes da morte do sumo sacerdote.

33 Assim não profanareis a terra da vossa habitação, porque o sangue profana a terra; e nenhuma expiação se poderá fazer pela terra por causa do sangue que nela for derramado, senão com o sangue daquele que o derramou.

34 Não contaminareis, pois, a terra em que haveis de habitar, no meio da qual eu também habitarei; pois eu, o Senhor, habito no meio dos filhos de Israel.





 By google.



Números 35 - Cidades levitas, Cities of  Refuge




A. Nomeação de cidades levíticas.



O comando  fornecer cidades e terras para os levitas.



1 Disse mais o Senhor a Moisés nas planícies de Moabe, junto ao Jordão, na altura de Jericó:

2 Dá ordem aos filhos de Israel que da herança da sua possessão dêem aos levitas cidades em que habitem; também dareis aos levitas arrabaldes ao redor delas.

3 Terão eles estas cidades para habitarem; e os arrabaldes delas serão para os seus gados, e para a sua fazenda, e para todos os seus animais.




 Ordena aos filhos de Israel que eles dêem as cidades aos levitas que habitavam em: A tribo de Levi não tinha "estado" ou "província" dentro de Israel. Sua herança era para ser só o Senhor: Então disse o SENHOR a Arão: Você não terão herança da sua terra, nem você tem qualquer parte entre eles; Eu sou a tua porção e a tua herança entre os filhos de Israel. Números 18:20


Eles terão cidades para habitar: No entanto, os levitas tiveram que viver em algum lugar. Deus ordenou que cada tribo desse cidades aos levitas, para que os levitas fossem espalhados por toda a nação.


Aos levitas eram para ser dado mais do que apenas as cidades; em torno de cada cidade, eles estavam a ser dado porções comuns da terra - terra adequada para o pastoreio dos animais e para a agricultura de pequena escala.




 Medindo o-terreno comum em torno de cada cidade.



4 Os arrabaldes que dareis aos levitas se estenderão, do muro da cidade para fora, mil côvados em redor.

5 E fora da cidade medireis para o lado oriental dois mil côvados, para o lado meridional dois mil côvados, para o lado ocidental dois mil côvados, e para o lado setentrional dois mil côvados; e a cidade estará no meio. Isso terão por arrabaldes das cidades.




 O número de cidades levíticas e sua distribuição.


6 Entre as cidades que dareis aos levitas haverá seis cidades de refúgio, as quais dareis para que nelas se acolha o homicida; e além destas lhes dareis quarenta e duas cidades.

7 Todas as cidades que dareis aos levitas serão quarenta e oito, juntamente com os seus arrabaldes.
8 Ora, no tocante às cidades que dareis da possessão dos filhos de Israel, da tribo que for grande tomareis muitas, e da que for pequena tomareis poucas; cada uma segundo a herança que receber dará as suas cidades aos levitas.

Entre as cidades que você vai dar aos levitas: Haveria um total de 48 cidades levíticas; seis cidades de refúgio, e 42 cidades adicionais.


A partir da maior tribo você dará muitas, desde o menor você deve dar alguns exemplos: As cidades eram para ser distribuído proporcionalmente através da nação, de modo que, onde havia populações maiores e maiores áreas de terras, não haveria cidades mais levitas, de modo que ninguém em Israel estaria longe de ser uma cidade de refúgio.


Na proporção da herança que cada um recebe: Isto reflete o desejo de Deus para distribuir uniformemente aos levitas - que estavam a ser os israelitas focados mais espiritualmente - os ministros de tempo integral, por assim dizer - de maneira uniforme em toda a Israel, de modo que sua influência pode ser distribuída por todo toda a nação.


Isso mostra a sabedoria de Deus em não fazer um estado levítico que outros teriam para onde ir. Deus pretende que estes ministros saiam entre as pessoas, influenciá-los para o Senhor.


Da mesma forma, Deus não pretende que haja um país cristão ou estado onde todos os cristãos vivem juntos em êxtase espiritual, e simplesmente dizer ao mundo ", venha se juntar a nós, se quiser." Em vez disso, Deus quer que os cristãos ser aspergido em todo o mundo, influenciando as pessoas para Jesus Cristo.




Cidades de refúgio.




O objetivo das cidades de refúgio.



9 Disse mais o Senhor a Moisés:

10 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando passardes o Jordão para a terra de Canaã,

11 escolhereis para vós cidades que vos sirvam de cidades de refúgio, para que se refugie ali o homicida que tiver matado alguém involuntariamente.

12 E estas cidades vos serão por refúgio do vingador, para que não morra o homicida antes de ser apresentado perante a congregação para julgamento.




Para que o homicida que mata qualquer pessoa acidentalmente pode fugir para lá: Na cultura antiga de Israel, não foi deixado inteiramente ao governo para vingar um assassinato. Cada família alargada tinha um vingador reconhecido que iria garantir que aquele que matou um membro da família teriam que ser igualmente mortos.


Esta prática foi baseada em uma compreensão correta do Gênesis 9: 6: Quem derramar o sangue do homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque à imagem de Deus, Deus feito homem.


Quem mata qualquer pessoa acidentalmente: Isto, se corretamente entendida e aplicada, poderia ser um dissuasor eficaz para matar e não uma instituição ruim. No entanto, o sistema tinha uma fraqueza fatal: E se a morte foi acidental, mas difícil de provar que foi acidental.



Podemos imaginar a situação facilmente: Dois homens trabalham juntos, derrubando árvores, quando um homem balança um machado e o machado voa fora, atingindo o outro homem na cabeça e matando-o instantaneamente. O homem sobrevivendo tinha boas razões para acreditar que o vingador do sangue da família do homem morto ia localizá-lo e matá-lo, acreditando que a morte foi um assassinato.


Portanto, esse homem poderia fugir para uma cidade de refúgio - uma cidade levítico nomeado, onde poderia ficar, seguro contra o vingador do sangue, até que o problema foi resolvido e ele poderia deixar a cidade de refúgio seguro.




A colocação das cidades de refúgio.



13 Serão seis as cidades que haveis de dar por cidades de refúgio para vós.

14 Dareis três cidades aquém do Jordão, e três na terra de Canaã; cidades de refúgio serão.




Você terá seis cidades de refúgio:
Haveria seis cidades de refúgio, com três de cada lado do rio Jordão. Cada uma das três cidades em ambos os lados seria posicionado como norte, central, e sul.


 Josué 20: 7-8  registra a escolha real das cidades. Eles cumpriu o plano de ser uniformemente distribuída perfeitamente. Deuteronômio 19: 3 também nos diz que estradas adequadas deviam ser construído e mantido para estas cidades de refúgio. A cidade de refúgio não era bom para o matador se não pudessem chegar lá rapidamente.


 Quais serão as cidades de refúgio: Isso significava que as cidades estavam perto de tudo; ninguém estava muito longe de ser uma cidade de refúgio. Isto foi obviamente importante quando o vingador do sangue perseguisse você.




 As pessoas elegíveis para protecção nas cidades de refúgio.


15 Estas seis cidades serão por refúgio aos filhos de Israel, ao estrangeiro, e ao peregrino no meio deles, para que se refugie ali todo aquele que tiver matado alguém involuntariamente.

 Que quem mata uma pessoa acidentalmente pode fugir para lá: Qualquer um - um estranho ou um cidadão de Israel - qualquer um que precisava encontrar proteção nas cidades de refúgio poderia. A sua proteção não se limitava aos filhos de Israel.




Como julgar se uma morte foi realmente assassinato.



16 Mas se alguém ferir a outrem com instrumento de ferro de modo que venha a morrer, homicida é; e o homicida será morto.

17 Ou se o ferir com uma pedra na mão, que possa causar a morte, e ele morrer, homicida é; e o homicida será morto.

18 Ou se o ferir com instrumento de pau na mão, que possa causar a morte, e ele morrer, homicida é; será morto o homicida.

19 O vingador do sangue matará ao homicida; ao encontrá-lo, o matará.

20 Ou se alguém empurrar a outrem por ódio ou de emboscada lançar contra ele alguma coisa de modo que venha a morrer,

21 ou por inimizade o ferir com a mão de modo que venha a morrer, será morto aquele que o feriu; homicida é. O vingador do sangue, ao encontrá-lo, o matará.

Ele é um assassino; o assassino certamente será posto à morte: Significativamente, a Bíblia faz a distinção clara entre matar e assassinato. Todos assassinato está matando; mas não todos assassinato é assassinato. A sociedade precisa de leis para estabelecer os princípios que decidem uma morte para ser um acidente infeliz ou verdadeiro assassinato.


Se ele ataca-lo com um ferro implementar: O assassino poderia ser julgados de acordo com a arma usada; se fosse um ferro implementar (probabilidade de matar), ou se fosse uma pedra ou uma arma de mão de madeira, através da qual pode-se morrer, então o assassino poderia ser considerado culpado de assassinato.


Se ele o empurra para fora do ódio e, durante a emboscada, atira algo para ele para que ele morre: O assassino também poderia ser julgado por discernir o estado do coração e da presença de premeditação no assassino. Se o assassinato acontece enquanto estava deitado na espera ou se havia inimizade, o assassinato pode ser julgado.




Como julgar se uma morte foi realmente homicídio culposo.



22 Mas se o empurrar acidentalmente, sem inimizade, ou contra ele lançar algum instrumento, sem ser de emboscada,

23 ou sobre ele atirar alguma pedra, não o vendo, e o ferir de modo que venha a morrer, sem que fosse seu inimigo nem procurasse o seu mal,

24 então a congregação julgará entre aquele que feriu e o vingador do sangue, segundo estas leis,


Se ele empurra de repente, sem inimizade: Se não foi a ausência de intenção assassina, ou a ausência de premeditação, ou se a morte foi claramente acidental, então o homem não era culpado de assassinato e não poderia ser entregue ao vingador do sangue .


Então a congregação julgará entre o homicida e o vingador do sangue, segundo estas leis: Ambos os lados da história teve de ser levado em conta. Julgamento não era para ser feito com base apenas a história de qualquer um dos lados.




Se o assassino for considerada inocente de assassinato.



25 e a congregação livrará o homicida da mão do vingador do sangue, fazendo-o voltar à sua cidade de refúgio a que se acolhera; ali ficará ele morando até a morte do sumo sacerdote, que foi ungido com o óleo sagrado.

26 Mas, se de algum modo o homicida sair dos limites da sua cidade de refúgio, onde se acolhera,

27 e o vingador do sangue o achar fora dos limites da sua cidade de refúgio, e o matar, não será culpado de sangue;

28 pois o homicida deverá ficar na sua cidade de refúgio até a morte do sumo sacerdote; mas depois da morte do sumo sacerdote o homicida voltará para a terra da sua possessão.




Assim, a congregação livrará o homicida da mão do vingador do sangue: Tendo sido julgado inocente do assassinato, o homicida poderia viver em paz e segurança - mas apenas dentro dos muros da cidade de refúgio.


Significativamente, alguém que matou outro - mas era inocente do assassinato - ainda tinha sua vida afetada profundamente. Eles tiveram que se deslocar de sua cidade e, presumivelmente, sua família também, e teve que viver o resto de suas vidas em cidade de refúgio. A tragédia também afetou sua vida.


Ele permanecerá lá até a morte do sumo sacerdote: A única coisa que poderia definir o homem livre a partir da cidade de refúgio foi a morte do sumo sacerdote; com a morte do sumo sacerdote, o vingador do sangue já não tinha quaisquer direitos sobre o homem na cidade de refúgio.


Mas se o homicida a qualquer momento vai para fora dos limites da cidade de refúgio, onde ele fugiu: Até o momento da morte do sumo sacerdote, se o homem que buscaram proteção na cidade de refúgio vagou fora dos muros da cidade, ele era jogo justo para o vingador do sangue - somente dentro de seu local de refúgio  ele estava seguro.




As cidades de refúgio como um retrato de Jesus.



 A Bíblia aplica esta imagem da cidade de refúgio para o crente encontrando refúgio em Deus em mais de uma ocasião:


Salmo 46: 1, diz que Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Mais de 15 outras vezes, os Salmos falam de Deus como sendo o nosso refúgio.


Hebreus 06:18 diz, que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, poderíamos ter forte consolação, que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta.
Podemos fugir para Jesus em busca de refúgio!


Ambos Jesus e as cidades de refúgio são de fácil acesso da pessoa necessitada; eles eram de nenhum uso a menos que alguém poderia chegar ao local de refúgio.


Ambos Jesus e as cidades de refúgio estão abertas a todos, e não apenas o israelita; ninguém precisa temer que eles iriam ser afastado do seu lugar de refúgio em sua hora de necessidade.


Ambos Jesus e as cidades de refúgio se tornou um lugar onde um em necessidade viveria; você não veio para uma cidade de refúgio em tempo de necessidade apenas de olhar ao redor.


Ambos Jesus e as cidades de refúgio são a única alternativa para a de necessidade; sem esta proteção específica, eles serão destruídos.


Ambos Jesus e as cidades de refúgio fornecer proteção somente dentro de seus limites; ir para fora significava a morte.


Com Jesus e as cidades de refúgio, plena liberdade vem com a morte do Sumo Sacerdote.


A distinção crucial: As cidades de refúgio só ajudam o inocente; o culpado pode vir a Jesus e encontrar refúgio.




Leis relativas assassinato.



Duas testemunhas são necessários antes que a punição para assassinato.



29 Estas coisas vos serão por estatuto de direito pelas vossas gerações, em todos os lugares da vossa habitação.

30 Todo aquele que matar alguém, será morto conforme o depoimento de testemunhas; mas uma só testemunha não deporá contra alguém, para condená-lo à morte.



Uma testemunha não é suficiente testemunho contra uma pessoa para a pena de morte: Uma testemunha nunca foi suficiente para condenar um assassino à morte. Além disso, as testemunhas tinham que estar tão certo de que um deles deve estar disposto a iniciar a execução real - a "atirar a primeira pedra" Deuteronômio 17: 6-7.


Isso coloca as palavras de Jesus a respeito da mulher apanhada em adultério em João 8 em perspectiva: Aquele que estiver sem pecado entre você, deixá-lo jogar uma pedra  primeiro
João 8: 7. Jesus pediu a testemunha oficial para avançar e ir no registro como tendo testemunhado esse ato de adultério, mas mostrar-se hipócrita o suficiente para trazer a mulher, mas não o homem para o julgamento.


Uma testemunha não é suficiente testemunho: Podemos confortar-nos de que nunca iria julgar alguém culpado de assassinato tão rapidamente, sem evidência adequada; mas quantas vezes nós assassinar a reputação de alguém em nossas próprias mentes ou nas mentes dos outros sem testemunhas, e muito menos um.


Deus está preocupado com o assassinato de reputação, assim como o assassinato físico, e comandos Não aceites acusação contra um ancião, senão com duas ou três testemunhas 1 Timóteo 5:19 - o mesmo padrão como para provar assassinato!


Lembre-se de 1 Timóteo 5:19 não diz "com exceção de dois ou três comadres"; ele diz que, com exceção de duas ou três testemunhas. Se uma questão for falsa, ela não se torna verdade, porque muitas pessoas ouvi-lo ou muitas pessoas repeti-la.




A vida de um assassino não pode ser resgatada.




31 Não aceitareis resgate pela vida de um homicida que é réu de morte; porém ele certamente será morto.

32 Também não aceitareis resgate por aquele que se tiver acolhido à sua cidade de refúgio, a fim de que ele possa tornar a habitar na terra antes da morte do sumo sacerdote.



Não aceitareis resgate pela vida de um assassino: Se alguém era culpado de assassinato, eles não podiam fazer a restituição monetária no lugar de sua vida. O princípio de Gênesis 9: 6 estandes: Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque à imagem de Deus fez o homem.


Você não aceitareis resgate por aquele que se tiver acolhido à sua cidade de refúgio: Isso reflete um princípio importante; ou seja, que o dinheiro não pode substituir a justiça. Às vezes uma recompensa monetária satisfaz a justiça, como em Êxodo 22: 4, por exemplo; mas outras vezes isso não acontece, e não deve ser usado como um substituto para a justiça.




A urgência para trazer os assassinos à justiça.


33 Assim não profanareis a terra da vossa habitação, porque o sangue profana a terra; e nenhuma expiação se poderá fazer pela terra por causa do sangue que nela for derramado, senão com o sangue daquele que o derramou.

34 Não contaminareis, pois, a terra em que haveis de habitar, no meio da qual eu também habitarei; pois eu, o Senhor, habito no meio dos filhos de Israel.


O sangue contamina a terra e nenhuma expiação pode ser feito para a terra: assassinatos não julgados contaminam uma nação. Quando os assassinos não são levados à justiça, há uma mancha em uma nação que só o severo juízo de Deus pode purificar.


Senão com o sangue daquele que o derramou: A maneira de evitar esta contaminação é julgar e executar assassinos - não expiação pode ser feito para a terra, por causa do sangue que é derramado sobre ela, senão com o sangue daquele que o derramou. Gênesis 9: 6


Os Estados Unidos da América - particularmente em suas cidades do interior - é uma terra contaminado. Essa nação tem sido contaminada pela mancha de assassinatos impunes. Em um ano recente em Los Angeles County, que em média mais de cinco assassinatos por dia, e muito poucos deles foram levados à justiça. O sangue dos feridos clama diante de Deus.




By you tube.
.
. 
Leia, estude, medite na Palavra de Deus.
 
 By google.




Toda Honra e Toda Glória ao Senhor,

 Nosso Deus!!!



Números Capítulo XXXIV

Posted by TKM


Create by google and TKM.



  By google.


04-Números Capítulo : 34



1 Disse mais o Senhor a Moisés:


2 Dá ordem aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando entrardes na terra de Canaã, terra esta que vos há de cair em herança, por toda a sua extensão,

3 a banda do sul será desde o deserto de Zim, ao longo de Edom; e o limite do sul se estenderá da extremidade do Mar Salgado, para o oriente;

4 e este limite irá rodeando para o sul da subida de Acrabim, e continuará até Zim; e, saindo ao sul de Cades-Barnéia, seguirá para Hazar-Hadar, e continuará até Azmom;

5 e daí irá rodeando até o ribeiro do Egito, e terminará na praia do mar.

6 Para o ocidente, o Mar Grande vos será por limite; o próprio mar será o vosso limite ocidental.

7 Este será o vosso limite setentrional: desde o Mar Grande marcareis para vós até o Monte Hor;

8 desde o monte Hor marcareis até a entrada de Hamate; daí ele se estenderá até Zedade;

9 dali continuará até Zifrom, e irá terminar em Hazar-Enã. Este será o vosso limite setentrional.

10 Marcareis o vosso limite oriental desde Hazar-Enã até Sefã;

11 este limite descerá de Sefã até Ribla, ao oriente de Aim; depois irá descendo ao longo da borda do mar de Quinerete ao oriente;

12 descerá ainda para o Jordão, e irá terminar no Mar Salgado. Esta será a vossa terra, segundo os seus limites em redor.

13 Moisés, pois, deu ordem aos filhos de Israel, dizendo: Esta é a terra que herdareis por sortes, a qual o Senhor mandou que se desse às nove tribos e à meia tribo;

14 porque a tribo dos filhos de Rúben, segundo as casas de seus pais, e a tribo dos filhos de Gade, segundo as casas de seus pais, como também a meia tribo de Manassés, já receberam a sua herança;

15 isto é, duas tribos e meia já receberam a sua herança aquém do Jordão, na altura de Jericó, do lado oriental.

16 Disse mais o Senhor a Moisés:

17 Estes são os nomes dos homens que vos repartirão a terra por herança: Eleazar, o sacerdote, e josué, filho de Num;

18 também tomareis de cada tribo um príncipe, para repartir a terra em herança.

19 E estes são os nomes dos homens: Da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné:

20 da tribo dos filhos de Simeão, Semuel, filho de Amiúde;

21 da tribo de Benjamim, Elidá, filho de Quislom;

22 da tribo dos filhos de Dã o príncipe Buqui, filho de Jógli;

23 dos filhos de José: da tribo dos filhos de Manassés o príncipe Haniel, filho de Éfode;

24 da tribo dos filhos de Efraim o príncipe Quemuel, filho de Siftã;

25 da tribo dos filhos de Zebulom o príncipe Elizafã, filho de Parnaque;

26 da tribo dos filhos de Issacar o príncipe Paltiel, filho de Azã;

27 da tribo dos filhos de Aser o príncipe Aiúde, filho de Selômi;

28 da tribo dos filhos de Naftali o príncipe Pedael, filho de Amiúde.

29 Estes são aqueles a quem o Senhor ordenou que repartissem a herança pelos filhos de Israel na
terra de Canaã.



  By google.


Números 34 - Os limites da terra, homens escolhidos para Parcela da Terra




Os limites da Terra Prometida.




Introdução.


1 Disse mais o Senhor a Moisés:


2 Dá ordem aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando entrardes na terra de Canaã, terra esta que vos há de cair em herança, por toda a sua extensão,

Esta é a terra que vos cairá a vós: Deus estava prestes a descrever as fronteiras da Terra Prometida a Moisés e os filhos de Israel. Embora as terras no lado oriental do rio Jordão pertenciam a Israel (e duas e meia tribos se estabeleceram nas terras orientais), essas terras não foram considerados para ser a "Terra Prometida" - isto é, Canaã.

Como a herança, Israel ia ter de assumir o controle da Terra Prometida por conquista; eles teriam que expulsar os cananeus para tomar posse. No entanto, eles nunca devem considerar que a terra foi dado a eles porque eles mereceram. Foi dada a eles por Deus como uma herança. Heranças são livremente doadas, não ganhas.




 A fronteira sul da Terra Prometida.



3 a banda do sul será desde o deserto de Zim, ao longo de Edom; e o limite do sul se estenderá da extremidade do Mar Salgado, para o oriente;

4 e este limite irá rodeando para o sul da subida de Acrabim, e continuará até Zim; e, saindo ao sul de Cades-Barnéia, seguirá para Hazar-Hadar, e continuará até Azmom;

5 e daí irá rodeando até o ribeiro do Egito, e terminará na praia do mar.

Para o ribeiro do Egito: Há algum debate sobre a identidade do ribeiro do Egito; seria o rio Nilo, ou um fluxo menor para o sul? Este seria determinante, se é ou não Deus deu o monte Sinai para Israel, como parte da Terra Prometida.




 A fronteira ocidental da Terra Prometida: O Mar Mediterrâneo.



6 Para o ocidente, o Mar Grande vos será por limite; o próprio mar será o vosso limite ocidental.


 A fronteira norte da Terra Prometida.

7 Este será o vosso limite setentrional: desde o Mar Grande marcareis para vós até o Monte Hor;

8 desde o monte Hor marcareis até a entrada de Hamate; daí ele se estenderá até Zedade;

9 dali continuará até Zifrom, e irá terminar em Hazar-Enã. Este será o vosso limite setentrional.


A fronteira leste da Terra Prometida.



10 Marcareis o vosso limite oriental desde Hazar-Enã até Sefã;

11 este limite descerá de Sefã até Ribla, ao oriente de Aim; depois irá descendo ao longo da borda do mar de Quinerete ao oriente;

12 descerá ainda para o Jordão, e irá terminar no Mar Salgado. Esta será a vossa terra, segundo os seus limites em redor.


 Esta é a terra das nove e meia tribos que se estabelecem no lado ocidental do rio Jordão iria dividir.


13 Moisés, pois, deu ordem aos filhos de Israel, dizendo: Esta é a terra que herdareis por sortes, a qual o Senhor mandou que se desse às nove tribos e à meia tribo;

14 porque a tribo dos filhos de Rúben, segundo as casas de seus pais, e a tribo dos filhos de Gade, segundo as casas de seus pais, como também a meia tribo de Manassés, já receberam a sua herança;

15 isto é, duas tribos e meia já receberam a sua herança aquém do Jordão, na altura de Jericó, do lado oriental.



Líderes nomeados para repartir a terra.



 Josué e Eleazar nomeado para repartir a terra.



16 Disse mais o Senhor a Moisés:

17 Estes são os nomes dos homens que vos repartirão a terra por herança: Eleazar, o sacerdote, e josué, filho de Num;


Eleazar, o sacerdote, e Josué, filho de Nun: A divisão da terra foi, de fato, um potencialmente divisionista - problema entre o povo de Israel - Era direito de tomar os dois líderes mais piedosos e proeminentes da nação para dirigir este dever essencial e controverso.




Os líderes de cada uma das doze tribos são nomeados para ajudar a Josué e Eleazar dividir a terra. 



18 também tomareis de cada tribo um príncipe, para repartir a terra em herança.

19 E estes são os nomes dos homens: Da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné:

20 da tribo dos filhos de Simeão, Semuel, filho de Amiúde;

21 da tribo de Benjamim, Elidá, filho de Quislom;

22 da tribo dos filhos de Dã o príncipe Buqui, filho de Jógli;

23 dos filhos de José: da tribo dos filhos de Manassés o príncipe Haniel, filho de Éfode;

24 da tribo dos filhos de Efraim o príncipe Quemuel, filho de Siftã;

25 da tribo dos filhos de Zebulom o príncipe Elizafã, filho de Parnaque;

26 da tribo dos filhos de Issacar o príncipe Paltiel, filho de Azã;

27 da tribo dos filhos de Aser o príncipe Aiúde, filho de Selômi;

28 da tribo dos filhos de Naftali o príncipe Pedael, filho de Amiúde.

29 Estes são aqueles a quem o Senhor ordenou que repartissem a herança pelos filhos de Israel na
terra de Canaã.


Fontes deste Estudo Biblico.
O código da Bíblia.com 




By you tube.
.
. 
Leia, estude, medite na Palavra de Deus.
  By google.





Toda Honra e Toda Glória ao Senhor,

 Nosso Deus!!!





Números Capítulo XXXIII

Posted by TKM









By google.




4 - Números Capítulo : 33


1 São estas as jornadas dos filhos de Israel, pelas quais saíram da terra do Egito, segundo os seus exércitos, sob o comando de Moisés e Arão.


2 Moisés registrou os pontos de partida, segundo as suas jornadas, conforme o mandado do Senhor; e estas são as suas jornadas segundo os pontos de partida:


 3 Partiram de Ramessés no primeiro mês, no dia quinze do mês; no dia seguinte ao da páscoa saíram os filhos de Israel afoitamente à vista de todos os egípcios,


  4 enquanto estes enterravam a todos os seus primogênitos, a quem o Senhor havia ferido entre eles, havendo o Senhor executado juízos também contra os seus deuses.


 5 Partiram, pois, os filhos de Israel de Ramessés, e acamparam-se em Sucote.


 6 Partiram de Sucote, e acamparam-se em Etã, que está na extremidade do deserto.


 7 Partiram de Etã, e voltando a Pi-Hairote, que está defronte de Baal-Zefom, acamparam-se diante de Migdol.


 8 Partiram de Pi-Hairote, e passaram pelo meio do mar ao deserto; e andaram caminho de três dias no deserto de Etã, e acamparam-se em Mara.


 9 Partiram de Mara, e vieram a Elim, onde havia doze fontes de água e setenta palmeiras, e acamparam-se ali.


 10 Partiram de Elim, e acamparam-se junto ao Mar Vermelho.


 11 Partiram do Mar Vermelho, e acamparam-se no deserto de Sim.


 12 Partiram do deserto de Sim, e acamparam-se em Dofca.


 13 Partiram de Dofca, e acamparam-se em Alus.


 14 Partiram de Alus, e acamparam-se em Refidim; porém não havia ali água para o povo beber.


 15 Partiram, pois, de Refidim, e acamparam-se no deserto de Sinai.


 16 Partiram do deserto de Sinai, e acamparam-se em Quibrote-Hataavá.


 17 Partiram de Quibrote-Hataavá, e acamparam-se em Hazerote.


 18 Partiram de Hazerote, e acamparam-se em Ritma.


 19 Partiram de Ritma, e acamparam-se em Rimom-Pérez.


 20 Partiram de Rimom-Pérez, e acamparam-se em Libna.


 21 Partiram de Libna, e acamparam-se em Rissa.


 22 Partiram de Rissa, e acamparam-se em Queelata.


 23 Partiram de Queelata, e acamparam-se no monte Sefer.


 24 Partiram do monte Sefer, e acamparam-se em Harada.


 25 Partiram de Harada, e acamparam-se em Maquelote.


 26 Partiram de Maquelote, e acamparam-se em Taate.


 27 Partiram de Taate, e acamparam-se em Tera.


28 E partiram de Tara, e acamparam-se em Mitca.

29 E partiram de Mitca, e acamparam-se em Hasmona.
30 Partiram de Hasmona, e acamparam-se em Moserote.

 31 Partiram de Moserote, e acamparam-se em Bene-Jaacã.


 32 Partiram de Bene-Jaacã, e acamparam-se em Hor-Hagidgade.


 33 Partiram de Hor-Hagidgade, e acamparam-se em Jotbatá.


 34 Partiram de Jotbatá, e acamparam-se em Abrona.


 35 Partiram de Abrona, e acamparam-se em Eziom-Geber.


 36 Partiram de Eziom-Geber, e acamparam-se no deserto de Zim, que é Cades.


 37 Partiram de Cades, e acamparam-se no monte Hor, na fronteira da terra de Edom.


 38 Então Arão, o sacerdote, subiu ao monte Hor, conforme o mandado do Senhor, e ali morreu no quadragésimo ano depois da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no quinto mês, no primeiro dia do mês.


39 E Arão tinha cento e vinte e três anos de idade, quando morreu no monte Hor.


40 Ora, o cananeu, rei de Arade, que habitava o sul da terra de Canaã, ouviu que os filhos de Israel chegavam.


41 Partiram do monte Hor, e acamparam-se em Zalmona.


 42 Partiram de Zalmona, e acamparam-se em Punom.


 43 Partiram de Punom, e acamparam-se em Obote.


 44 Partiram de Obote, e acamparam-se em Ije-Abarim, na fronteira de Moabe.


45 Partiram de Ije-Abarim, e acamparam-se em Dibom-Gade.


46 Partiram de Dibom-Fade, e acamparam-se em Almom-Diblataim.


 47 Partiram de Almom-Diblataim, e acamparam-se nos montes de Abarim, defronte de Nebo.


48 Partiram dos montes de Abarim, e acamparam-se nas planícies de Moabe, junto ao Jordão, na altura de Jericó;


49 isto é, acamparam-se junto ao Jordão, desde Bete-Jesimote até Abel-Sitim, nas planícies de Moabe.


 50 Também disse o Senhor a Moisés, nas planícies de Moabe, junto ao Jordão, na altura de Jericó:


 51 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando houverdes passado o Jordão para a terra de Canaã,


 52 lançareis fora todos os habitantes da terra de diante de vós, e destruireis todas as suas pedras em que há figuras; também destruireis todas as suas imagens de fundição, e desfareis todos os seus altos;


 53 e tomareis a terra em possessão, e nela habitareis; porquanto a vós vos tenho dado esta terra para a possuirdes.


 54 Herdareis a terra por meio de sortes, segundo as vossas famílias: à família que for grande, dareis uma herança maior, e à família que for pequena, dareis uma herança menor; o lugar que por sorte sair para alguém, esse lhe pertencerá; segundo as tribos de vossos pais recebereis as heranças.


 55 Mas se não lançardes fora os habitantes da terra de diante de vós, os que deixardes ficar vos serão como espinhos nos olhos, e como abrolhos nas ilhargas, e vos perturbarão na terra em que habitardes;


 56 e eu vos farei a vós como pensei em fazer-lhes a eles.





By google.




... São estas as jornadas dos filhos de Israel, pelas quais saíram da terra do Egito ...
E, Peregrinaram pelo deserto por 40 anos ...


Números 33 - Revisão do Êxodo, prévia da Conquista

A. Olhando para trás: O que Deus já tinha feito.

1. (1-2) A conta da viagem de Israel, escrito pelo comando do Senhor.
1 São estas as jornadas dos filhos de Israel, pelas quais saíram da terra do Egito, segundo os seus exércitos, sob o comando de Moisés e Arão.

2 Moisés registrou os pontos de partida, segundo as suas jornadas, conforme o mandado do Senhor; e estas são as suas jornadas segundo os pontos de partida:
 A saída do Egito.


3 Partiram de Ramessés no primeiro mês, no dia quinze do mês; no dia seguinte ao da páscoa saíram os filhos de Israel afoitamente à vista de todos os egípcios,

  4 enquanto estes enterravam a todos os seus primogênitos, a quem o Senhor havia ferido entre eles, havendo o Senhor executado juízos também contra os seus deuses.
Eles partiram de Ramsés no primeiro mês, no dia quinze do primeiro mês; no dia após a Páscoa os filhos de Israel saíram com ousadia, à vista de todos os egípcios. Para os egípcios foram enterrar todos os seus primogênitos, a quem o Senhor tinha matado entre eles. Também em seus deuses o Senhor tinha executado juízos.
Os filhos de Israel saíram com ousadia, à vista de todos os egípcios: Embora fossem escravos, eles não sa´ram fugitivos do Egito; Deus lhes deu a ousadia de deixar como conquistadores, não como escravos.
Em seus deuses o Senhor tinha julgamentos executados: O que o Senhor trouxe pragas sobre o Egito não foram escolhidos aleatoriamente; eles foram destinados especificamente para humilhar as pessoas e repreender sua crença em divindades egípcias bizarras e demoníacas.

Do Egito ao Monte Sinai.
4 enquanto estes enterravam a todos os seus primogênitos, a quem o Senhor havia ferido entre eles, havendo o Senhor executado juízos também contra os seus deuses.

 5 Partiram, pois, os filhos de Israel de Ramessés, e acamparam-se em Sucote.


 6 Partiram de Sucote, e acamparam-se em Etã, que está na extremidade do deserto.


 7 Partiram de Etã, e voltando a Pi-Hairote, que está defronte de Baal-Zefom, acamparam-se diante de Migdol.


 8 Partiram de Pi-Hairote, e passaram pelo meio do mar ao deserto; e andaram caminho de três dias no deserto de Etã, e acamparam-se em Mara.


 9 Partiram de Mara, e vieram a Elim, onde havia doze fontes de água e setenta palmeiras, e acamparam-se ali.


 10 Partiram de Elim, e acamparam-se junto ao Mar Vermelho.


 11 Partiram do Mar Vermelho, e acamparam-se no deserto de Sim.


 12 Partiram do deserto de Sim, e acamparam-se em Dofca.


 13 Partiram de Dofca, e acamparam-se em Alus.


 14 Partiram de Alus, e acamparam-se em Refidim; porém não havia ali água para o povo beber.


 15 Partiram, pois, de Refidim, e acamparam-se no deserto de Sinai.
Então os filhos de Israel se mudou de Ramsés. . . e acamparam no deserto de Sinai: Esta parte
da viagem levou mais de um ano, mas a maior parte do tempo não foi gasto na viagem, mas em receber a lei no Monte Sinai.


A partir de Mount Sinai para as margens do rio Jordão.
 16 Partiram do deserto de Sinai, e acamparam-se em Quibrote-Hataavá.


 17 Partiram de Quibrote-Hataavá, e acamparam-se em Hazerote.


 18 Partiram de Hazerote, e acamparam-se em Ritma.


 19 Partiram de Ritma, e acamparam-se em Rimom-Pérez.


 20 Partiram de Rimom-Pérez, e acamparam-se em Libna.


 21 Partiram de Libna, e acamparam-se em Rissa.


 22 Partiram de Rissa, e acamparam-se em Queelata.


 23 Partiram de Queelata, e acamparam-se no monte Sefer.


 24 Partiram do monte Sefer, e acamparam-se em Harada.


 25 Partiram de Harada, e acamparam-se em Maquelote.


 26 Partiram de Maquelote, e acamparam-se em Taate.


 27 Partiram de Taate, e acamparam-se em Tera.


28 E partiram de Tara, e acamparam-se em Mitca.

29 E partiram de Mitca, e acamparam-se em Hasmona.
30 Partiram de Hasmona, e acamparam-se em Moserote.

 31 Partiram de Moserote, e acamparam-se em Bene-Jaacã.


 32 Partiram de Bene-Jaacã, e acamparam-se em Hor-Hagidgade.


 33 Partiram de Hor-Hagidgade, e acamparam-se em Jotbatá.


 34 Partiram de Jotbatá, e acamparam-se em Abrona.


 35 Partiram de Abrona, e acamparam-se em Eziom-Geber.


 36 Partiram de Eziom-Geber, e acamparam-se no deserto de Zim, que é Cades.


 37 Partiram de Cades, e acamparam-se no monte Hor, na fronteira da terra de Edom.


 38 Então Arão, o sacerdote, subiu ao monte Hor, conforme o mandado do Senhor, e ali morreu no quadragésimo ano depois da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no quinto mês, no primeiro dia do mês.


39 E Arão tinha cento e vinte e três anos de idade, quando morreu no monte Hor.

40 Ora, o cananeu, rei de Arade, que habitava o sul da terra de Canaã, ouviu que os filhos de Israel chegavam.

41 Partiram do monte Hor, e acamparam-se em Zalmona.

 42 Partiram de Zalmona, e acamparam-se em Punom.


 43 Partiram de Punom, e acamparam-se em Obote.


 44 Partiram de Obote, e acamparam-se em Ije-Abarim, na fronteira de Moabe.


45 Partiram de Ije-Abarim, e acamparam-se em Dibom-Gade.

46 Partiram de Dibom-Fade, e acamparam-se em Almom-Diblataim.

 47 Partiram de Almom-Diblataim, e acamparam-se nos montes de Abarim, defronte de Nebo.


48 Partiram dos montes de Abarim, e acamparam-se nas planícies de Moabe, junto ao Jordão, na altura de Jericó;

49 isto é, acamparam-se junto ao Jordão, desde Bete-Jesimote até Abel-Sitim, nas planícies de Moabe.
Eles se mudaram desde o deserto de Sinai: Esta parte da viagem levou cerca de 38 anos; não porque a distância era tão longa, mas porque Deus levou-os em andanças porque a geração de incredulidade teve que morrer no deserto antes de uma geração de fé poderia ser levantada, para tomar posse da terra prometida.
Quibrote-Hataavá. . . Hazerote. . . Ritmá. . .: A lista dos acampamentos de Israel vem rapidamente; mais de 30 nomes de lugares são dadas em rápida sucessão. Durante este tempo, houve uma série de atividades para o povo de Israel - mas nenhum progresso. Eles não estavam chegando mais perto da Terra Prometida, e não viria mais perto até que a geração de incredulidade haveria falecido.


Olhando para o futuro: A conquista de Canaã.

O comando para conquistar os habitantes de Canaã.
 50 Também disse o Senhor a Moisés, nas planícies de Moabe, junto ao Jordão, na altura de Jericó:

 51 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando houverdes passado o Jordão para a terra de Canaã,


 52 lançareis fora todos os habitantes da terra de diante de vós, e destruireis todas as suas pedras em que há figuras; também destruireis todas as suas imagens de fundição, e desfareis todos os seus altos;


 53 e tomareis a terra em possessão, e nela habitareis; porquanto a vós vos tenho dado esta terra para a possuirdes.
Você deve expulsar todos os habitantes da terra de diante de vós: Deus teve um papel único para a nação de Israel no que diz respeito ao povo de Canaã. Ele usou-os como um instrumento único de julgamento contra os cananeus.
Expulsar todos os habitantes da terra, e para destruir todas as suas pedras gravadas. . . suas imagens moldadas. . os seus altos: Este propósito original explica por que Israel foi ordenado não só para derrotá-los militarmente, mas para apagar os vestígios da cultura idólatra. A arqueologia moderna tem documentado as práticas de culto corruptos e demoníacos dos cananeus. Eles foram verdadeiramente uma cultura madura para o julgamento de Deus.


O comando para possuir a terra de Canaã.
 54 Herdareis a terra por meio de sortes, segundo as vossas famílias: à família que for grande, dareis uma herança maior, e à família que for pequena, dareis uma herança menor; o lugar que por sorte sair para alguém, esse lhe pertencerá; segundo as tribos de vossos pais recebereis as heranças.

 55 Mas se não lançardes fora os habitantes da terra de diante de vós, os que deixardes ficar vos serão como espinhos nos olhos, e como abrolhos nas ilhargas, e vos perturbarão na terra em que habitardes;


 56 e eu vos farei a vós como pensei em fazer-lhes a eles.
Você deve dividir a terra por muito como uma herança entre vossas famílias: a intenção de Deus era não só para trazer juízo sobre a cultura corrupta dos cananeus, mas também para dar a terra a Israel.
Se você não expulsou os habitantes da terra de diante de vós, então será que aqueles a quem você deixe permanecer deve ser irritantes em seus olhos e espinhos em seus lados: Se Israel não conseguiu expulsar os cananeus da terra, eles ainda poderia ocupar a Terra Prometida - mas as práticas corruptas e coração dos cananeus iria encontrar um lugar entre Israel e o próprio Israel acabaria por ser expulsos da terra (será que farei a vós como pensei fazer para eles).
Isto tornou-se verdadeiro da história de Israel. Eles não expulsou totalmente os cananeus, e embora eles possuíram a terra, a corrupção dos cananeus continuaram entre Israel até que finalmente Deus permitiu que Israel fosse expulso da terra no exílio.
Ele não tem qualquer utilidade para a igreja para ter sucesso aos olhos do homem - como Israel tinha conseguido quando o ocuparam a terra e tornou-se uma nação legítima, em vez de um povo escravizado - se ele simplesmente permite que as práticas corruptas e atitudes do mundo enraize, se isso acontecer, a igreja deve esperar para ser eventualmente expulsa de seu lugar de sucesso.



By you tube.
.
. 
Leia, estude, medite na Palavra de Deus.
 
 By google.



Toda Honra e Toda Glória ao Senhor,

 Nosso Deus!!!




Números Capítulo XXXII

Posted by TKM






By google.




04 - Números Capítulo : 32



1 Ora, os filhos de Rúben e os filhos de Gade tinham gado em grande quantidade; e quando viram a terra de Jazer, e a terra de Gileade, e que a região era própria para o gado,


2 vieram os filhos de Gade e os filhos de Rúben a Moisés e a Eleazar, o sacerdote, e aos príncipes da congregação e falaram-lhes, dizendo:

3 Atarote, Dibom, Jazer, Ninra, Hesbom, Eleale, Sebã, Nebo e Beom,

4 a terra que o Senhor feriu diante da congregação de Israel, é terra para gado, e os teus servos têm gado.

5 Disseram mais: Se temos achado graça aos teus olhos, dê-se esta terra em possessão aos teus servos, e não nos faças passar o Jordão.

6 Moisés, porém, respondeu aos filhos de Gade e aos filhos de Rúben: Irão vossos irmãos à peleja, e ficareis vós sentados aqui?

7 Por que, pois, desanimais o coração dos filhos de Israel, para eles não passarem à terra que o Senhor lhes deu?

8 Assim fizeram vossos pais, quando os mandei de Cades-Barnéia a ver a terra.

9 Pois, tendo eles subido até o vale de Escol, e visto a terra, desanimaram o coração dos filhos de Israel, para que não entrassem na terra que o Senhor lhes dera.

10 Então a ira do Senhor se acendeu naquele mesmo dia, e ele jurou, dizendo:

11 De certo os homens que subiram do Egito, de vinte anos para cima, não verão a terra que prometi com juramento a Abraão, a Isaque, e a Jacó! porquanto não perseveraram em seguir-me;

12 exceto Calebe, filho de Jefoné o quenezeu, e josué, filho de Num, porquanto perseveraram em seguir ao Senhor.

13 Assim se acendeu a ira do Senhor contra Israel, e ele os fez andar errantes no deserto quarenta anos, até que se consumiu toda aquela geração que fizera mal aos olhos do Senhor.

14 E eis que vós, uma geração de homens pecadores, vos levantastes em lugar de vossos pais, para ainda mais aumentardes o furor da ira do Senhor contra Israel.

15 se vós vos virardes de segui-lo, também ele tornará a deixá-los no deserto; assim destruireis a todo este povo:

16 Então chegaram-se a ele, e disseram: Construiremos aqui currais para o nosso gado, e cidades para os nossos pequeninos;

17 nós, porém, nos armaremos, apressando-nos adiante dos filhos de Israel, até os levarmos ao seu lugar; e ficarão os nossos pequeninos nas cidades fortificadas, por causa dos habitantes da terra.

18 Não voltaremos para nossas casas até que os filhos de Israel estejam de posse, cada um, da sua herança.

19 Porque não herdaremos com eles além do Jordão, nem mais adiante; visto que já possuímos a nossa herança aquém do Jordão, ao oriente.

20 Então lhes respondeu Moisés: se isto fizerdes, se vos armardes para a guerra perante o Senhor,

21 e cada um de vós, armado, passar o Jordão perante o Senhor, até que ele haja lançado fora os seus inimigos de diante dele,

22 e a terra esteja subjugada perante o Senhor, então, sim, voltareis e sereis inculpáveis perante o Senhor e perante Israel; e esta terra vos será por possessão perante o Senhor.

23 Mas se não fizerdes assim, estareis pecando contra o Senhor; e estai certos de que o vosso pecado vos há de atingir.

24 Edificai cidades para os vossos pequeninos, e currais para as vossas ovelhas; e cumpri o que saiu da vossa boca.

25 Então os filhos de Gade e os filhos de Rúben disseram a Moisés: Como ordena meu senhor, assim farão teus servos.

26 Os nossos pequeninos, as nossas mulheres, os nossos rebanhos e todo o nosso gado ficarão nas cidades de Gileade;

27 mas os teus servos passarão, cada um que está armado para a guerra, a pelejar perante o Senhor, como diz o meu senhor.

28 Então Moisés deu ordem acerca deles a Eleazar, o sacerdote, e a josué, filho de Num, e aos cabeças das casas paternas nas tribos dos filhos de Israel;

29 e disse-lhes Moisés: Se os filhos de Gade e os filhos de Rúben passarem convosco o Jordão, armado cada um para a guerra perante o Senhor, e a terra for subjugada diante de vós, então lhes dareis a terra de Gileade por possessão;

30 se, porém, não passarem armados convosco, terão possessões entre vós na terra de Canaã.

30 e Nebo e Baal-Meom (mudando-lhes os nomes), e Sibma; e deram outros nomes às cidades que edificaram.

31 Ao que responderam os filhos de Gade e os filhos de Rúben: Como o Senhor disse a teus servos, assim faremos.

32 Nós passaremos armados perante o Senhor para a terra de Canaã, e teremos a possessão de nossa herança aquém do Jordão.

33 Assim deu Moisés aos filhos de Gade e aos filhos de Rúben, e à meia tribo de Manassés, filho de José, o reino de Siom, rei dos amorreus, e o reino de Ogue, rei de Basã, a terra com as suas cidades e os respectivos territórios ao redor.

34 Os filhos de Gade, pois, edificaram a Dibom, Atarote, Aroer,

35 Atarote-Sofã, Jazer, Jogbeá,

36 Bete-Ninra e Bete-Harã, cidades fortificadas; e construíram currais de ovelhas.

37 E os filhos de Rúben edificaram a Hesbom, Eleale e Quiriataim;

39 E os filhos de Maquir, filho de Manassés, foram a Gileade e a tomaram, e desapossaram aos amorreus que aí estavam.

40 Deu, pois, Moisés a terra de Gileade a Maquir, filho de Manassés, o qual habitou nela.

41 E foi Jair, filho de Manassés, e tomou as aldeias dela, e chamou-lhes Havote-Jair.

42 Também foi Nobá, e tomou a Quenate com as suas aldeias; e chamou-lhe Nobá, segundo o seu próprio nome.




By google.



Números 32 - As Tribos do leste da Jordânia

O pedido das tribos de Rúben e Gad.


O pedido para resolver no lado leste do rio Jordão.


1 Ora, os filhos de Rúben e os filhos de Gade tinham gado em grande quantidade; e quando viram a terra de Jazer, e a terra de Gileade, e que a região era própria para o gado,

2 vieram os filhos de Gade e os filhos de Rúben a Moisés e a Eleazar, o sacerdote, e aos príncipes da congregação e falaram-lhes, dizendo:

3 Atarote, Dibom, Jazer, Ninra, Hesbom, Eleale, Sebã, Nebo e Beom,

4 a terra que o Senhor feriu diante da congregação de Israel, é terra para gado, e os teus servos têm gado.

5 Disseram mais: Se temos achado graça aos teus olhos, dê-se esta terra em possessão aos teus servos, e não nos faças passar o Jordão.


Se temos achado graça aos teus olhos, dê-se esta terra aos teus servos como uma posse: Israel havia conquistado os moabitas e os midianitas, e as pastagens ideais no lado leste do rio Jordão, foram estabelecidas antes deles. Os líderes tribais de Rúben e Gad estavam contentes com estas terras, e pediu para serem doadas a eles como sua herança tribal.


Não nos leve ao Jordão: Embora este tinha sido o desejo dos filhos de Israel para cerca de 400 anos, desde que Jacob levou a família para o Egito para encontrar alívio da fome, agora essas duas tribos estavam se contentando em ficar onde estão . Parecia bom o suficiente para eles.


 "Que qualquer tribo israelita deve considerar se estabelecer fora da terra prometida a Abraão mostrou uma indiferença perturbadora à palavra divina, a palavra em que a existência de Israel dependia inteiramente."



Moisés reage ao pedido das tribos de Rúben e Gad.


6 Moisés, porém, respondeu aos filhos de Gade e aos filhos de Rúben: Irão vossos irmãos à peleja, e ficareis vós sentados aqui?

7 Por que, pois, desanimais o coração dos filhos de Israel, para eles não passarem à terra que o Senhor lhes deu?


Por que você irá desencorajar o coração dos filhos de Israel para que não passem à terra que o SENHOR lhes tem dado? Moisés temia que a atitude das tribos de Rúben e Gad iria impedir as outras tribos de ir para a Terra Prometida. A atitude deles disse: "Nós lutamos bastante e já sofremos o suficiente. Vamos apenas estabelecer-se onde estamos. "


O Medo de Moisés teve um fundamento. Se você quiser avançar com as coisas do Senhor e ir mais fundo e mais longe com ele, há uma maneira de desencorajar esse desejo - começar pendurado em torno de crentes que estão satisfeitos com onde eles estão, e que não querem pressionar com o Senhor. A complacência é contagiosa.


Irão vossos irmãos à peleja, enquanto você sentar aqui? Moisés queria que eles soubessem que havia uma batalha para lutar e que eles estavam todos juntos nisso. Só porque essas tribos estavam satisfeitos com onde eles estavam não aliviá-los da responsabilidade de manter a batalha acontecendo.




Seguindo os passos da geração anterior de incredulidade, a geração que pereceu no deserto.



8 Assim fizeram vossos pais, quando os mandei de Cades-Barnéia a ver a terra.

9 Pois, tendo eles subido até o vale de Escol, e visto a terra, desanimaram o coração dos filhos de Israel, para que não entrassem na terra que o Senhor lhes dera.

10 Então a ira do Senhor se acendeu naquele mesmo dia, e ele jurou, dizendo:

11 De certo os homens que subiram do Egito, de vinte anos para cima, não verão a terra que prometi com juramento a Abraão, a Isaque, e a Jacó! porquanto não perseveraram em seguir-me;

12 exceto Calebe, filho de Jefoné o quenezeu, e josué, filho de Num, porquanto perseveraram em seguir ao Senhor.

13 Assim se acendeu a ira do Senhor contra Israel, e ele os fez andar errantes no deserto quarenta anos, até que se consumiu toda aquela geração que fizera mal aos olhos do Senhor.

14 E eis que vós, uma geração de homens pecadores, vos levantastes em lugar de vossos pais, para ainda mais aumentardes o furor da ira do Senhor contra Israel.

15 se vós vos virardes de segui-lo, também ele tornará a deixá-los no deserto; assim destruireis a todo este povo:


Desanimaram o coração dos filhos de Israel: Moisés lembrou os líderes da tribo de Rúben e Gad por que Israel não conseguiu entrar na Terra Prometida cerca de 38 anos antes.


É uma coisa terrível a ser usado pelo diabo para desencorajar outros crentes a caminhar mais profundo e ainda mais com o Senhor. Devemos pedir a Deus para nos guardar de nunca desencorajar o coração de outro filho de Deus.


b. Porque eles não perseveraram em seguir-me: É por isso que o desânimo dos dez espias infiéis trabalhar sobre os homens daquela geração. Se eles tivessem a vontade do Senhor, o relatório desanimador não teria influenciado indevidamente deles.


O que fez Josué e Calebe diferente foi que eles perseverei em seguir ao Senhor. Eles não dobre o relatório desanimador dos dez espias infiéis.


Quando nós não perseveraram em seguir ao Senhor, somos muito mais propensos a ser influenciado pela carnal e o desanimador em torno de nós.


Se você desviar de segui-Lo, Ele voltará a deixá-los no deserto: Talvez esta geração percebi que eles tinham um bilhete grátis para a Terra Prometida, não importa o que, porque as "dívidas" já tinha sido pagas pela geração de incredulidade . De jeito nenhum! Eles podem perecer assim como a geração anterior, se eles caminham na mesma incredulidade!


Você vai destruir todas essas pessoas: Era como se Moisés disse: "O seu desânimo da nação significaria que você destruiu-los, assim como os dez espias infiéis destruiram a geração anterior."


Moisés sentiu que talvez as tribos de Rúben e Gad ou fizeram uma escolha ruim para si mesmos; ou seja, eles se machucar por se decidir sobre as terras a leste do rio Jordão. Mas Moisés não confrontou -os com essa questão. Se um filho de Deus se contenta em se contentar com menos em sua vida cristã, há pouco ou nada se pode fazer. Mas quando sua complacência começa a afetar seus irmãos e irmãs, ele deve ser confrontado. Esta foi a base do confronto de Moisés.




A questão das tribos do leste está resolvido.




Os líderes tribais de Rúben e Gad oferecer para enviar suas tropas para ajudar a conquistar a terra a oeste do rio Jordão.



16 Então chegaram-se a ele, e disseram: Construiremos aqui currais para o nosso gado, e cidades para os nossos pequeninos;

17 nós, porém, nos armaremos, apressando-nos adiante dos filhos de Israel, até os levarmos ao seu lugar; e ficarão os nossos pequeninos nas cidades fortificadas, por causa dos habitantes da terra.

18 Não voltaremos para nossas casas até que os filhos de Israel estejam de posse, cada um, da sua herança.

19 Porque não herdaremos com eles além do Jordão, nem mais adiante; visto que já possuímos a nossa herança aquém do Jordão, ao oriente.


Nós mesmos sairemos armados, pronto para ir diante dos filhos de Israel, até os levarmos ao seu lugar: Isso efetivamente respondia a questão de desânimo. Nenhuma das tribos teria inveja ou Rúben Gad, descansando em facilidade, enquanto o resto deles estão lutando por suas terras. Os homens de Rúben e Gad iria lutar ao lado deles.




 Moisés recebe sua oferta - desde que cumpri-la.



20 Então lhes respondeu Moisés: se isto fizerdes, se vos armardes para a guerra perante o Senhor,

21 e cada um de vós, armado, passar o Jordão perante o Senhor, até que ele haja lançado fora os seus inimigos de diante dele,

22 e a terra esteja subjugada perante o Senhor, então, sim, voltareis e sereis inculpáveis perante o Senhor e perante Israel; e esta terra vos será por possessão perante o Senhor.

23 Mas se não fizerdes assim, estareis pecando contra o Senhor; e estai certos de que o vosso pecado vos há de atingir.

24 Edificai cidades para os vossos pequeninos, e currais para as vossas ovelhas; e cumpri o que saiu da vossa boca.


Se você fizer essa coisa: Se o fizerem como eles disseram, então eles seria irrepreensível diante do Senhor e diante de Israel. Mas se não o fizessem, eles certamente seriam culpados.


Mas se você não fazê-lo, em seguida, tomar nota, você pecaram contra o SENHOR; e ter certeza que seu pecado irá encontrá-lo: E se eles não conseguiram fazer o que eles disseram, eles poderiam estar certos de que o vosso pecado vos há de achar. Embora seja verdade que qualquer pecado pode encontrar-nos, o pecado especificamente fala aqui é o pecado de não fazer nada!


As tribos de Rúben e Gad fez nada - se ficassem em casa, enquanto seus irmãos estavam lutando pela vida e morte para tomar posse da Terra Prometida.


Às vezes, não fazer nada é um grande pecado - e é um pecado que certamente se tornará evidente, e vai encontrar-nos mais tarde.




Os líderes tribais de Rúben e Gad concordar.



25 Então os filhos de Gade e os filhos de Rúben disseram a Moisés: Como ordena meu senhor, assim farão teus servos.

26 Os nossos pequeninos, as nossas mulheres, os nossos rebanhos e todo o nosso gado ficarão nas cidades de Gileade;

27 mas os teus servos passarão, cada um que está armado para a guerra, a pelejar perante o Senhor, como diz o meu senhor.




O acordo está resolvido, e as cidades são dadas para as tribos que se estabelecem nas terras a leste do rio Jordão.




28 Então Moisés deu ordem acerca deles a Eleazar, o sacerdote, e a josué, filho de Num, e aos cabeças das casas paternas nas tribos dos filhos de Israel;

29 e disse-lhes Moisés: Se os filhos de Gade e os filhos de Rúben passarem convosco o Jordão, armado cada um para a guerra perante o Senhor, e a terra for subjugada diante de vós, então lhes dareis a terra de Gileade por possessão;

30 se, porém, não passarem armados convosco, terão possessões entre vós na terra de Canaã.

30 e Nebo e Baal-Meom (mudando-lhes os nomes), e Sibma; e deram outros nomes às cidades que edificaram.

31 Ao que responderam os filhos de Gade e os filhos de Rúben: Como o Senhor disse a teus servos, assim faremos.

32 Nós passaremos armados perante o Senhor para a terra de Canaã, e teremos a possessão de nossa herança aquém do Jordão.

33 Assim deu Moisés aos filhos de Gade e aos filhos de Rúben, e à meia tribo de Manassés, filho de José, o reino de Siom, rei dos amorreus, e o reino de Ogue, rei de Basã, a terra com as suas cidades e os respectivos territórios ao redor.

34 Os filhos de Gade, pois, edificaram a Dibom, Atarote, Aroer,

35 Atarote-Sofã, Jazer, Jogbeá,

36 Bete-Ninra e Bete-Harã, cidades fortificadas; e construíram currais de ovelhas.

37 E os filhos de Rúben edificaram a Hesbom, Eleale e Quiriataim;

39 E os filhos de Maquir, filho de Manassés, foram a Gileade e a tomaram, e desapossaram aos amorreus que aí estavam.

40 Deu, pois, Moisés a terra de Gileade a Maquir, filho de Manassés, o qual habitou nela.

41 E foi Jair, filho de Manassés, e tomou as aldeias dela, e chamou-lhes Havote-Jair.

42 Também foi Nobá, e tomou a Quenate com as suas aldeias; e chamou-lhe Nobá, segundo o seu próprio nome.




Então Moisés deu aos filhos de Gade, aos filhos de Rúben, e à meia tribo de Manassés, filho de José; Números 32:33 introduz outra tribo - na verdade, metade da tribo de Manassés - que eram do mesmo modo o conteúdo para resolver sobre As terras a leste do rio Jordão. Assim, no total, duas tribos e metade não tomou posse das terras a oeste do rio Jordão.










 Fontes deste Estudo Biblico.
O código da Bíblia.com  



By you tube.
.
. 
Leia, estude, medite na Palavra de Deus.
 
 By google.




Toda Honra e Toda Glória ao Senhor,

 Nosso Deus!!!


 
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...